Olhar Apaixonado sobre as HQ – Dossiê Homem Formiga

Por Rodrigo Delli.

Este ano [2015] teremos o filme de um “grande” herói ‘da casa das ideias’ no cinema: o Homem Formiga. Sabemos que ele é vivido pelo ladrão Scott Lang e que ele conta com a ajuda de um importante mentor, o cientista Henry Pym, para entrar nos eixos e passar ao time dos mocinhos.

 

   Embora tomem as revistas em quadrinhos como ponto de partida, os filmes podem desenvolver as tramas mais inusitadas. Aqueles que saírem das salas de exibição com vontade de acompanhar as HQs do herói podem estranhar um pouco o que vão encontrar – e este dossiê poderá ajudar um pouco, servindo como guia para leitores novatos.

Origem clássica


   O Homem Formiga pode ter ficado alguns anos ‘fora de circulação”, mas podemos dizer que ele é um dos personagens mais antigos da Marvel e que suas aventuras foram essenciais para o sucesso da editora – uma vez que foi um dos membros fundadores dos Vingadores, em 1963!

   Sua primeira aparição ocorreu em Tales to Astonish #35, em setembro de 1962 – embora o talentoso cientista Henry Pym tenha surgido alguns meses antes, na edição 27 da mesma publicação, que trazia histórias de mistério, horror e ficção cientifica bem na linha de Além da imaginação. A aventura narra como o cientista criou a fórmula que permitia encolher coisas e a testou em si mesmo, vindo a visitar uma colônia de formigas, de onde ele só conseguiu escapar após muitas peripécias. Julgando que a fórmula era muito perigosa, Pym a destruiu – mas semanas depois ele mudou de ideia e voltou a trabalhar nela, escondendo-a por fim em um cofre. Sua proximidade com as formigas, no entanto, deu origem a uma nova paixão e ele passou a estudá-las com dedicação. Convencido de que elas podiam se comunicar por meio de suas antenas, o cientista desenvolveu um elmo capaz de acessar a “frequencia de onda” das formigas e criou também um uniforme super transado, com as célebres ‘moléculas instáveis’, para se defender de eventuais formigas ‘nervosas’.

   Pym, já considerado um cientista brilhante, recebeu do governo a tarefa de criar um gás que tornasse as pessoas imunes à radiação, um tema importante durante o período, o auge da ‘guerra fria’ – mas a informação circula e logo agentes da polícia secreta comunista invadem seu laboratório em busca da fórmula. Ele é trancado em uma sala e então surge o momento de testar seus novos inventos, quando comanda um exército de formigas e derrota os agentes comunistas.

   Ele passa a ser o personagem principal da HQ, que até então só veiculava histórias genéricas, sem um  personagem fixo, enfrentando os vilões mais malucos. No número #44, em junho de 1963, as narrativas começam a ficar mais complexas e ele ganha não um parceiro mirim, como era a moda, mas uma parceira – a Vespa – e em setembro do mesmo ano a dupla têm grande importância na formação dos Vingadores. Curiosamente, dois meses depois o Dr. Pym deixa de ser o Homem Formiga para assumir o manto do Homem Gigante, quando passa a dobrar de tamanho ao invés de encolher; e só viria a vestir o traje e a persona do Homem Formiga, brevemente, durante algumas edições esparsas entre 1971 e 1973. O Dr. Pym desenvolveu uma série de transtornos de personalidade, alguns bastante severos, e logo saiu de cena.

Scott Lang, o segundo Homem Formiga


   O manto do Homem Formiga permaneceu abandonado até abril de 1979, quando Scott Lang assumiu inadvertidamente o posto do herói em Marvel Premiere #47. Lang havia entrado para o mundo do crime com o objetivo de sustentar sua família, após perder seu emprego formal – mas foi preso e cumpriu três anos de prisão. De volta à liberdade ele teve que retornar ao mundo do crime quando sua filha Cassie contraiu uma doença cardiopática gravíssima; ele invadiu o laboratório do Dr. Pym e roubou o traje do Homem Formiga, bem como a fórmula do encolhimento. Após salvar a vida da filha ele resolveu devolver os pertences ao Dr. Pym, mas este insistiu para que Lang continuasse com o traje em prol do bem da humanidade.

   O segundo Homem Formiga nunca teve um título próprio mas podemos dizer que teve uma vida agitada: ele apareceu pontualmente em diversas publicações variadas até ganhar alguma estabilidade junto ao Quarteto Fantástico e, mais tarde, conquistar um lugar junto aos Vingadores. No entanto, em Avengers #500 (julho de 2004), quando tem início a dramática saga A Queda, Lang heróicamente perdeu a vida defendendo a mansão dos Vingadores.

   Pouco depois, sua filha Cassie desenvolveu a habilidade de crescer até 8 metros de altura e passou a atuar como a heroína Estatura, junto a um grupo formado apenas por adolescentes conhecido como Jovens Vingadores, em 2005.

 

   Em 2010, na mini série Avengers: the Children Crusade [no Brasil, A Cruzada das Crianças], o Rapaz de Ferro, líder dos Jovens Vingadores, consegue levar a Feiticeira Escarlate de volta ao passado, no momento em que teve início A Queda, e Estatura consegue salvar a vida do pai – que é trazido de volta ao presente. A cronologia oficial não é alterada, mas Scott Lang permanece vivo. No entanto, logo explode um terrível combate envolvendo os Vingadores, os Jovens Vingadores, os X-Men, o X-Factor, Magneto e o Dr. Destino – e a saga se encerra com a dolorosa morte de Cassie.

O que o leitor vai encontrar nas bancas

Marvel Now

   Em 2012, diante do sucesso de seus personagens no cinema e buscando tornar suas publicações mais acessíveis aos novos leitores, a Marvel zerou todas as HQs em andamento e remodelou os times criativos de alguns títulos. No exato ponto zero, em uma edição especial chamada “Marvel Now – Ponto Um”, foram apresentadas prévias de um conjunto de novas publicações que seriam introduzidas no Universo Marvel – e entre elas temos um vislumbre da nova fase de Scott Lang, futuro diretor e líder da Fundação Futuro.

   Com o traço marcante de Mike Allred [Madman] e o roteiro inteligente de Matt Fraction, observamos como a morte de Cassie impactou o Homem Formiga e como ele deseja se vingar do Dr. Destino. A pequena aventura começa com as recordações de uma conversa que ele teve com Cassie, quando esta ainda era criança, discutindo o significado das ‘intervenções’ artísticas do célebre artista Marcel Duchamp – em especial de sua atitude de colocar “bigodes” na Mona Lisa, uma das pinturas mais conhecidas do mundo. De acordo com Lang, o artista francês estava questionando tanto a postura ‘comercial’ como ‘conceitual’ da arte:

Então, ainda planando em suas memórias, ele avança para um ponto abrupto:

   “Precisei de mais 19 dias para estar pronto para voltar ao trabalho”, retoma ele, “com um buraco negro no coração do meu mundo”. Lang afirma que deseja se vingar do Dr. Destino e enfrenta um monte de criaturas microscópicas, presentes no corpo humano, durante uma noite de estreia artística na Latvéria, nação e lar do vilão, iniciando assim sua vingança:

Arte de Mike Allred

   As aventuras da Fundação Futuro, que assumiu o lugar do Quarteto Fantástico durante uma louca viagem no tempo, estão sendo publicadas pela Panini na HQ Universo Marvel – e, HONESTAMENTE, trata-se de um dos melhores títulos da Marvel Now, combinando ficção científica e aventura com doses equilibradas de sensibilidade e non sense. Altamente recomendado!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s