O que é Steampunk?

Atualmente eu estou simplesmente fascinado por este subgênero de ficção que é o steampunk, gênero este fecundado em meados do século XIX, com obras de autores como Júlio Verne, H.G. Wells e Mary Shelley, e nascido entre 1960 e 1970 como uma variante vitoriana do gênero cyberpunk.

 

Hoje em dia, a temática cyber/steampunk se subdividiu em diversos outros como dieselpunk, clockworkpunk, decopunk, atompunk, biopunk, etc., mas sempre mantendo características em comum. Nestas temáticas temos uma sociedade “punk” decadente ou distópica, governos corruptos, superpopulação, falência de instituições públicas e privadas, reaproveitamento de material por escassez de recursos de qualidade.

A diferença entre cada gênero seria exatamente o nível tecnológico ou época, como no caso de cyberpunk, temos altíssimo nível tecnológico cibernético enquanto no steampunk temos os motores a vapor e a engenharia elétrica (não eletrônica), derivados da revolução industrial do século XVIII, sendo utilizados para alcançarmos os mesmos paradigmas tecnológicos modernos (carros motorizados, computadores, robôs), entretanto em cenários, pontos históricos e personalidades nunca existiram, como o fordismo causando a criação de bens semi-artesanais dando muito mais cor à sociedade.

Os contos de H.G. Wells, Mary Shelley e Júlio Verne, apesar de ser uma inspiração para o steampunk, não são considerados steampunk, mesmo havendo livros com uma temática distópica ou a forte presença dos maquinários a vapor sendo utilizados em máquinas “futurísticas” como o Náutilos, mas estes são excelentes referências à sociedade vitoriana e ao maquinário a vapor.

O termo steampunk surgiu em 1987 de uma carta de K. W. Jeter à Lócus Magazine numa tentativa de reunir as obras de Tim Powers, James Blaylock e suas próprias sob um mesmo guarda chuva temático, sendo consideradas verdadeiras obras steampunk as obras produzidas por volta de e após a década de 70.

Obras que valem destaque são “Morlock Night” de K. W. Jeter, “The Anubis Gates” de Tim Powers, “Homunculus” de James Blaylock e “Perdido Street Station” de China Miéville, sendo o último uma obra de fantasia steampunk, em um mundo diferente com um conjunto de raças inteligentes e até mesmo uma física a parte.

 

 

O steampunk criou não somente um estilo literário, como também um estilo estético próprio baseado nas roupas vitorianas com acessórios, em comunhão com o tecnológico retro, podendo ter um apelo ao caos, ao decadente, ou ao apocalíptico, com direito a joalheiros, relojoeiros e artesões criando ou customizando toda sorte de joias e utensílios com a aparência retro do período vitoriano.

Nas feiras steampunk, os artistas levam sua arte para expor e vender, sendo esta arte composta de itens puramente estéticos, com funcionamento fictício de uma máquina do tempo ou 100% funcionais como um cooler de computador, telefones ou caixa de relógios. A qualidade e diversidade são tanta, que o museu de história da ciência fez uma exibição com artigos steampunk e hoje em dia temos galerias de arte puramente steampunk.

 

Podemos encontrar hoje em dia diversos elementos da cultura geek / pop sendo convertidos ao steampunk, como star wars, iron man, guliver, pequena sereia entre outos sendo que aquilo que algum humano algum dia está sujeito a se transformar em steampunk.

Steampunk também influenciou a música com um apelo ao burlesco, circense, eletrônico, cigano e/ou gótico, sendo a banda precursora Vernian Process, em homenagem a Júlio Verne, e sendo seguida por tantas outras como Abney Park, que chega até mesmo a criar uma história fictícia para seus integrantes onde eles agora são sobreviventes de um navio voador pirata vitoriano.

Outras personalidades aderiram ao steampunk como sendo parte de sua vida cotidiana, entrando de cabeça no personagem, como é o caso do Dr. Steel que afirmava ser um cientista maluco destinado a conquistar o mundo se tornando o futuro imperador de uma terra de brinquedos utópica e dizendo que, além de seus robôs, seus fãs são seus mínios de conquista mundial.

Estas personalidades do steampunk normalmente aparecem em eventos steampunk, de época, joalheiros e artesões sendo que no Brasil temos menos eventos focados no steampunk, sendo o mais famoso o evento organizado pela steamcon do qual eu pretendo participar este ano, afinal, eu sou um destes malucos que esta assumindo o steampunk como parte do seu dia a dia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s