X-CIÊNCIA – A morte de Gwen Stacy sob a visão científica

Por Toninho, o estagiário

Fala galera, deu a louca no Provollone e permitiram que o estagiário escrevesse um post (mas relaxem, este tem uma revisão do grande Marcelo). Esta semana que passou estreou um dos filmes mais esperados (ou não) do ano Homem-Aranha: de volta ao lar. E claro, isto me fez re-assistir o último filme do aracnídeo: The Amazing Spider-man 2  e para ser breve, para você que não viu, na minha opinião, valeu a pena pagar uma sessão na sala XtremeD, pois Mark Webb caprichou nos efeitos, mas acaba pecando em um detalhe (ficou meio mal-explicado o papel que Harry Osborn estava incorporando) ou outro (faltou um pouco mais de Peter Parker fotógrafo na trama) e por deixar de fora o incrível J.K. Simons como J.J. Jamenson.

Mas… com a estréia do novo filme do Aranha que tal remoer pequenos problemas do passado? Vamos discutir sobre a Morte de Gwen (presente no último penultimo filme do amigão da vizinhança)

-Todos os cálculos a seguir são apenas aproximações.

-Usaremos apenas física básica para  para maior facilidade de compreeensão.

-Os valores de incerteza são calculados de modo estatístico por propagação.  

-Não tente isso em casa, esses cálculos são feitos por profissionais.

-Contém possíveis spoilers do filme The Amazing Spider-man 2: A Ameaça de Electro

-Usaremos o filme como base para os cálculos!

E finalmente vamos ao que realmente interessa, pois já dei espaço e tempo suficiente para você decidir se vai arriscar tomar um spoiler do filme. Se continuar interessado em cálculos (principalmente os do Marcelo que como sempre manda muito bem) ou em análises malucas de comportamento de super-heróis, vá ali em cima em Textos e dê uma olhada nos outros textos do X-Ciência ou no Divã do Provollone.

Desde o primeiro Amazing Spider-Man, os fãs já sabiam do inevitável. Desde que Emma Stone fora escalada como Gwen Stacy, primeiro par romântico de Peter Parker, os fãs do cabeça de teia já sabiam que hora ou outra, o arco A morte de Gwen de 1973 iria ser retratada na telona (Eu nasci quase 15 anos depois e acho esta é uma das histórias mais tristes dos quadrinhos).

 

(P.S.: esta cena é muito foda!)

Nem vamos entrar em detalhes no quanto esse fato muda toda a história do Aranha, que até então estava em baixa na Marvel. Em poucas páginas ele perde a amada e acaba matando aquele que muitos consideram seu maior vilão. A parte mais controversa é a forma como a Marvel e Gerry Conway decidem matar a boa moça que é jogada da ponte George Washington por Norman Osborn. O filme desde o inïcio vai lançando indícios de que o final não seria tão feliz, principalmente devido ao figurino de Emma Stone que é bem semelhante ao retratado nos quadrinhos.

E a grande polêmica que nos traz até aqui é: como será que Gwen morre? O Aranha não consegue impedir o impacto à tempo ou é o tranco da tentativa do herói que quebra pescoço da garota?

Vamos aos cálculos então. São simples e não devem tomar muito do seu tempo. Lembra da escola? Quando calculavam a queda de objetos de uma certa altura? Vamos utilizar os mesmos princípios, pois inicialmente não vamos considerar a resistência do ar durante a queda, e aplicar as primeiras leis de Newton.

Com o eixo orientado para baixo, temos as seguintes condições, dado que não sabemos a altura que o Duende Macabro (sim, o Harry não é o Duente Verde e sim o Duende Macabro no filme) deixa Gwen cair.

   V = V0 + at

No filme, a cena vai em câmera lenta, mas vamos considerar que caia por 30 segundos e a  aceleração a é a gravidade como 9,8 m/s², logo temos que a velocidade que Gwen atinge no final da queda é de v = 294 m/s (ou 82 km/h).

Agora temos que calcular a desaceleração do impacto para as duas suposições e a força do impacto que o corpo sofre:

HIPÓTESE 1) Gwen bate no chão por uma fração de segundos (como parece no filme) e morre devido ao impacto:

– supondo o tempo que Gwen bate no chão seja de 1 milésimo de segundo. E assim a desaceleração do corpo será de a = 294.000 m/s².

– lembra da fórmula da segunda lei de Newton (F = ma)? É assim que calculamos a força do impacto. Mas primeiro, temos que descobrir a massa da Gwen, certo? Com a ajuda do Google, descobrimos que a massa da Emma Stone é m = 52 kg. Logo, a força do impacto é de apenas

F = 15,3 x 10³ kN (16% da força do pisão do Hulk em um dia bem tranquilo). É quase como se 24 tanques M1 Abrams (62 toneladas) fosse colocado em cima dela.

HIPÓTESE 2) Gwen tem o pescoço quebrado pelo impacto de ser puxada pela teia do Homem-Aranha:

– o tempo que a teia lançada desacelera Gwen é de 1 segundo. E seguindo o raciocínio do item anterior, temos que a desaceleração é a = 294 m/s².

– o cálculo da força de impacto segue também da mesma forma foi de F = 15,3 kN.

– o diferencial desse caso é que vamos considerar que parte desta força seja aplicada em 10% no pescoço de Gwen. A força aplicada no pescoço é de 1,5 kN. Em conversa com meu irmão, médico Luisin, percebi que lesões na região do cabeça/crânio/pescoço é muito crítica.

Com a velocidade que Gwen atinge, a desaceleração brusca faria com que a massa encefálica sofresse lesões por golpe e contra-golpe ao se chocar com as superfícies rígidas dos ossos crânio, ou seja, o cérebro viraria vitamina ao colidir com as paredes internas do crânio; outro ponto importante é que para pessoas sem super-poderes são necessários apenas 100 N para interromper o fluxo sanguíneo cerebral; outra coisa que descobrimos é que com uma força entre 1.855 N e 2.405 N há um risco de 50% de ocorrer uma fratura no osso frontal (esse da sua testa); e por último, em um enforcamento normal, a pessoa tem que cair apenas 2m para sofrer os danos que causem luxação na região do pescoço e lesão medular. Imaginem que qualquer que fosse o cenário, as coisas não estavam favoráveis a jovem garota.

Conclusão: Gwen dificilmente resistiria a qualquer que fosse a forma que tenha sido seu impacto, tampouco à vontade dos editores e escritores da Marvel para matar um personagem.

No fim das contas, a cena é triste e forte e o impacto da morte de Gwen Stacy na vida do amigo da vizinhança que ela é uma das poucas personagens que a Marvel não teve sucesso em tentar ressucitá-la, apesar de ter tentado trazê-la de volta durante as sagas dos Clones (a de 75 e de 94).

Como minha noiva não lê a coluna, posso deixar escapar que deu um nó na garganta nas cenas finais do filme e quase escorregou uma lágrima. Apesar de ser da geração Mary Jane, eu sempre fui do time da Gwen. Faz falta pro Peter, faz falta nas histórias em quadrinhos e vai fazer muita falta nos cinemas também.

PS: Por motivo de simplicidade usamos o filme como base, mas o resultado não mudaria caso usássemos apenas sugestões do quadrinho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s