Divã do Provollone: A verdade por trás da Saga das 12 Casas (Parte 1)

Por Léo Provollone.

Oi! Eu sou o Léo Provollone, e hoje gostaria de fazer uma denúncia. Vocês vão conhecer a verdade lógica por trás da saga das 12 Casas de Os Cavaleiros do Zodíaco. (Insira música de suspense aqui.)

Para começar, todos vocês conhecem o Masami Kurumada, certo? Sabem que ele nasceu na cidade de Tókio e foi o criador da história de sucesso incomparável Os Cavaleiros do Zodíaco, certo? Maaaas aposto que vocês não sabiam que Cavaleiros só estava programado pra ir até a fase em que o Ikki rouba a armadura de ouro. (Música de suspense de novo.)

fig2Na época, em 1986, a Shueisha, editora que publicou os Cavaleiros, obrigou o Kurumada a inventar mais alguma coisa pro anime devido ao grande sucesso. De inicio o autor não queria mas sucumbiu a pressão dos fãs e resolveu criar a saga das 12 Casas. O que poucas pessoas sabem é que o Kurumada colocou inúmeros easter eggs da sua macabra adolescência em toda a saga. (Eu não vou falar mais sobre a música de suspense.)

Hoje, minhas queridas crianças nerds, vamos dissecar a saga e mostrar toda a doentia história por trás de um dos melhores mangás já criados (e vamos destruir sua infância também de brinde).

fig3O Kurumada passou a maior parte da sua adolescência em um bairro pobre, chamado Kamagasaki. Na época, o bairro era rodeado de tragédias e mortes o tempo todo. Todos se referiam ao lugar como “12-Ka” ou em português “12 Casas”. Esse nome veio do fato de que existiam 12 poderosos “kirins” (mensageiros que anunciam a chegada de um Deus) vivendo cada um em uma casa e espalhando o terror pelo bairro. Imagine como 12 poderosos traficantes que tomam conta de um local, estipulando regras.

O que o Kurumara fez em Cavaleiros foi contar a história de quando a polícia japonesa resolveu invadir o local e acabar com o domínio da gangue. Cada Cavaleiro de Ouro representa um dos kirins. Os Cavaleiros de Bronze representam a polícia e toda a história nada mais é do que uma mescla de realidade com fantasia.

Vamos começar pelo Mu de Áries.

O Mu (não conhecemos os nomes reais dos bandidos, por isso vamos usar os nomes dados a eles na série) é o cara que queria, há muito, sair do tráfico, mas sabia bem das consequências para quem desiste. Foi a primeira Casa que os policiais invadiram e Mu fez um acordo com eles, ajudando os policiais com armas, coletes à prova de bala e entregando a localização dos outros bandidos. Por esse motivo entrou no programa de proteção a testemunha e não foi preso.

fig1

O Aldebaran era um brasileiro que foi para o Japão ganhar a vida e acabou se envolvendo com o tráfico. Tomou bastante bomba enquanto morava no Brasil e foi apadrinhado pelos japoneses depois que apresentou essas drogas brasileiras para aumento de massa muscular. Nunca gostou muito de usar armas, preferia mesmo é a força física. Quando os policiais invadiram a casa do Aldebaran, foi torturado e teve um braço amputado para entregar a fórmula das bombas que vendia.

fig5

Continua na próxima coluna…

Anúncios

Um comentário sobre “Divã do Provollone: A verdade por trás da Saga das 12 Casas (Parte 1)

  1. Pingback: Divã do Provollone: A verdade por trás da Saga das 12 Casas (Parte 2) | PROVOLLONE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s