X-Ciência – Como o Flash atravessa paredes?

Por Marcelo Rubinho

– Todos os cálculos a seguir são apenas aproximações.

– Usaremos apenas física básica para facilitar a compreensão e a diversão.

– Os valores de incerteza são calculados de modo estatístico por propagação.  

– Não tente isso em casa; esses cálculos são feitos por profissionais.

 
A pergunta da vez foi enviada pela galera do grupo do Facebook Cosplay Ocidental. Quem quiser rir muito deve conversar com esse pessoal, pois tem discussões de alto nível!
sp22Os fãs antigos vão lembrar da maravilhosa edição Superpowers #22, que é referência para entender um pouco melhor as diferenças básicas entre os “Flashes” e introduzir os poderes dos velocistas.

Além de realmente recomendar essa edição, eu digo que é uma boa pedida para aqueles que (por conta da série de TV) queiram conhecer mais sobre o corredor escarlate.

Claro que após o polêmico Novos 52 muita coisa mudou, mas a base é essa.

Enfim, no final da revista temos um material muito interessante, uma espécie de enciclopédia dos poderes e curiosidades do FlashÉ aí que vemos a seguinte explicação para de um dos poderes colaterais do Flash, a intangibilidade. Vejam o quadrinho abaixo:

screenshot-from-2014-03-15-22_17_17  

OK, todo mundo entendeu? Posso encerrar a coluna? Vamos para casa, o último apaga a luz.
Bom, na verdade eu não gostei dessa explicação, fora que a repulsão elétrica dos átomos não permitiria uma coisa assim, e tirando este pequeno encarte, nunca vi nenhuma citação sobre essa habilidade estranha de “controlar suas moléculas” no homem mais veloz do mundo. Acredito que foi uma ideia eventualmente abandonada pelos escritores.
Algumas pessoas argumentariam a favor deste encarte com o uso da experiência de Rutherford. Aquela em que o cara pega uma fonte radioativa e joga numa folha de ouro. O que se observa? A radiação atravessa facilmente a folha, com poucas reflexões e deflexões.

 

rutherford

Experimento de Rutherford – imagem retirada do site “belezadafísica”

Mas vamos com calma. Sim, apesar de os átomos basicamente se constituírem de “nada”, NÃO podemos atravessá-los “escorregando” por entre eles. Há forças gigantescas que nos impedem disso e, além de tudo, NÃO somos feitos de radiação.
 Então, como ele poderia atravessar matéria sólida?
 Calma crianças, vejamos as hipóteses:

Hipótese 1: Tunelamento Quântico
tunelÉ meio complicado entender, então vamos resumir. Basicamente o tunelamento se refere a quando uma partícula encontra uma barreira que não pode ultrapassar (uma parede, por exemplo) e, portanto, ela deve ser refletida. Contudo, na mecânica quântica existe a possibilidade de uma pequena parte da matéria atravessar.

Trazendo isso para o Flash, suas partículas possuem uma possibilidade muuuito, mas bota muito pequena nisso, de atravessar a parede. Logo, basta ele se chocar milhares de vezes contra a parede que após certo tempo irá atravessá-la (isso também funciona com você, então comece a se atirar contra uma parede agora e verá que em algum tempo terá sucesso).

Mas em quanto tempo? Esta hipótese foi levantada por um amigo meu, o senhor Julius Santos, e debatida com cálculos junto de outro grande mestre da área, Marcelo Buda (valeu gente, o que seria de minhas procrastinações sem ajuda dessa turma do barulho?).

Bom, com apenas alguns cálculos simples, Buda estimou que batendo em uma parede com uma velocidade em torno de 10⁵ vezes por segundo (!) o Flash levaria mais que a idade do universo para atravessar a desgraça (além de ficar com a cara amassada). E mesmo se aumentasse a velocidade dessas batidas seria impossível… Enfim, acho que você já pode parar de se jogar contra a parede…

coracao

Claro, se fosse possível alterar a probabilidade do tunelamento, o que seria um poder mais incrível do que correr na velocidade da luz, Flash seria capaz de fazer o mesmo que a nave Coração de Ouro de O Guia do Mochileiro das Galáxias.


Hipótese 2: Conversão do corpo em ondas eletromagnéticas

OK, OK, não joguem pedras e me escutem…

Alguns devem se lembrar da maravilhosa saga “Velocidade Terminal” na revista Flash #95, que aqui no Brasil saiu na revista do Super-Homem (2° série) #3 em janeiro de 1997. Wally West fica preocupado com as consequências de correr rápido demais e ao fazer justamente isso para salvar Impulso, cria um problema misterioso. Ele vai até Linda e declara que ao cruzar o limite da velocidade da luz ele acabou deixando de ser humano, portanto…

flashluzFlash torna-se … UM TRECO!

Na verdade, não é possível saber se ele vira eletricidade, luz, fogo, fóton, chakra, reiatsu, ou entra no módulo turbo do Max Steel.

Isso, porém, explicaria como ele pode ultrapassar as leis físicas ao torna-se um corpo radioativo, feito de emanações eletromagnéticas. E como sabemos, certos comprimentos de onda podem atravessar paredes! (O quê? Você não sabia? Achou que estaria seguro da bomba atômica?)

Se considerarmos que ele se torna uma onda viva por alguns instantes ao acessar seu poder na dimensão da velocidade (mano…. explico isso outro dia), podemos pensar nas frequências do espectro eletromagnético. É como sintonizar estações de rádio, e como seu corpo é uma onda basta simplesmente acessar a frequência certa.espectro_eletromagnetico

Espectro Eletromagnético – Imagem retirada de <explicatorium.com>.

Ou seja, é só alterarmos a frequência de vibração que mudaremos o tipo de onda. Olhe a imagem acima e veja que com uma frequência maior que 10²⁴ Hertz atingiremos o comprimento de onda dos Raios Gama, o que tem um poder de penetração (ui) muito grande e alta energia. Assim, o Flash pode vibrar no comprimento correto e atravessar a parede e…

… isso não é nada simples! Ele perderia um bom tempo e pode ser que também perdesse parte do corpo, já que muitas de suas partículas poderiam ser refletidas. E me lembro que, dependendo do material, o pobre velocista tinha dificuldade em atravessar… atualmente, ao tentar atravessar a parede da Fortaleza da Solidão, ele quase morreu (nem me lembro a saga, mas é nos Novos 52).

Enfim, talvez ele precise vibrar ao nível de um raio cósmico, no entanto a hipótese ainda é válida, portanto…

CONCLUSÃO: Para conseguir atravessar uma simples porção de tijolos, o Flash precisa atingir a frequência de 10²⁴ Hertz, ou seja, ele precisa, no mínimo – e se eu contei certo -, vibrar 1 septilhão de vezes por segundo.  Cara, isso que é uma tremedeira dos infernos! Creio que algo assim causaria dano na parede também (mas os fãs vão lembrar que às vezes Wally explodia as coisas que atravessava) e muitos dos meus amigos e colegas vão achar um absurdo a conclusão a que chegamos, com o risco de até perdemos o diploma. O importante é que sim, o Flash atravessa as paredes, vamos vibrar!

vibrar-2

Anúncios

2 comentários sobre “X-Ciência – Como o Flash atravessa paredes?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s